No Gloves On


Leave a comment

5 Truques para Manter a Pele Bem Tratada

São só 5 a meu ver e claro já contando com os dois básicos truques de sobrevivência da pele: dormir bem (umas boas e largas horas de sono o mais regularmente possível) e beber muita, muita água. Aqui vão:

  1. Lavar sempre a cara com água fria. Nunca (nunca mesmo) lavar a pele do rosto com água quente. Ajuda a manter sempre a firmeza da pele e manter os poros bem fechados.
  2. Esfoliar a pele 1 vez por semana (há uma grande quantidade de misturas esfoliantes naturais na internet, com iogurte, mel ou pepino, pêra abacate, etc. muito ‘faça você mesmo’ ou ‘do it yourself’ que são fantásticos…)
  3. Pelo menos 3 vezes por semana passar gelo na cara ou melhor, mergulhar a cara em água gelada (melhor ainda, todos os dias – quanto mais vezes melhor!)
  4. Retirar sempre (sempre mesmo) a maquilhagem da pele e completamente até o algodão continuar branco – estilo o ‘algodão não engana!’ (recomendação: água micelar :)
  5. Usar uma base com protector solar – mínimo 50, porque senão não faz  nada! – e no caso de não usar base, usar protector solar na cara, sempre (um creme que seja recomendado pelo dermatologista, claro ;)

Que tal?

São básicos, fáceis e super-importantes! Boa??

(Deixo aqui os meus exemplos – que me foram indicados pelo meu dermatologista, claro…!)

 

 

Advertisements


Leave a comment

Look Clássico Mas Com Mais Qualquer Coisa

Na colecção de Emanuel Ungaro fiquei gá-gá com a maquilhagem! Daquela maneira que ficamos quando queremos usar ou experimentar aquela make-up perfeita para os desfiles, mas que na vida real, não tem lugar…

Quer dizer… Há sempre lugar, mas normalmente num tom abaixo, mais discreto…

A ideia para a apresentação foi exagerar a make-up clássica dos anos 70, sabem? Muito à Elizabeth Taylor, aquelas pálpebras azuis e boca bem encarnada, que (lá está) na vida real fugimos porque os deuses da maquilhagem nos ensinaram a concentrar mais na boca ou nos olhos, mas nunca nos dois, certo?

Lucia Pieroni, responsável pela maquilhagem no show, usou o azul esfumado (Paint Pot Clearwater da MAC) nas pálpebras em formato de amêndoa e depois uma ligeira camada de pó em azul pálido para tornar a cor mais intensa e muitooooo rimel bem preto e bem carregado nas pestanas. Na boca passeou entre o Retro Matte , Relentlessly Red e Lady Danger da MAC.

Tudo bem carregado e exagerado, mas que até parece (… será?) discreto?? Talvez não, mas parece…

E funciona!  Adorei!

<Imagens Pinterest, Emanuelungaro.com e WWD.com>


Leave a comment

E Aqueles Olhos Dior da Colecção Resort? Hein??

Tão simples, tão modernos e tãooooo loucos!

Quem viu a colecção ficou de certeza muito apanhado e bem curioso sobre como fazer este look. Não foi??

Peter Philips, o novo director criativo de imagem e maquilhagem Dior, queria usar algo muito simples e muito clássico para esta colecção e claro, o eyeliner preto é ‘O‘ clássico, simples e eterno para os olhos como o encarnado para a boca…

O resultado foi um olhar super-intenso com a força clássica do eyeliner preto e o twist que Peter Philips lhe deu com duas linhas de eyeliner em vez de uma só, resultando num olhar super-gráfico e que mantendo a base do rosto bem fresca e limpa, cria uma intensidade de look memorável.

Ou seja, assim nasceu um novo clássico!

Então claro como é tão perfeito quanto os velhos clássicos e perfeitamente ‘usável’ off-runway… Interessa o ‘Como Fazer’, não ééééé??

Aqui vai:

Depois de usar o eyeliner liquido (Dior Addict It-Line) para um traço bem exagerado na linha das pestanas superior e inferior (tentar copiar as imagens da galeria em cima) com um movimento muito semelhante ao look cat-eye (aquele que se faz assim: click click!), passou por cima com a sombra preta (Dior 5 Couleurs Eyeshadow compact) para um acabamento suave.

Só isto! Mai Nada! Bem simples, fácil, prático, enfim… Só tenho adjectivos perfeitos para um look demasiado louco para não ser usado quase todos os dias…

Claro que não me aguentei e já experimentei e sim, é assim tão simples!

Facilmente se pode tornar um favorito…

<Imagens WWD.com>


Leave a comment

A Trança da Elsa E Como Ser a Tia Preferida das Sobrinhas

Para quem tem sobrinhas como eu, este é o post mais importante do momento.

  • “Tia, Tia, como é que se faz a trança da Elsa?”
  • “Quero uma trança igual à da Elsa!”
  • “Vá lá, Vá lá!”

… Ring a bell??

Então aqui vai o ‘Como Fazer?‘ mais importante do momento, pelo menos para umas tantas meninas por aí, vai fazer sucesso. Aviso que é um bocadão trabalhoso e para o tamanho de cabelo das miúdas normalmente implica o comprimento de cabelo um pouco abaixo da linha dos ombros ou uma peruca mesmo, mas é possível.

E como quero manter o status de ‘Tia Preferida’ (as espertalhonas devem dizer o mesmo a todas, para conseguir o que querem, estou mesmo a ver…!), tenho que ter sempre estes ‘docinhos’ que elas gostam, certo? Então mãos à obra, há que acreditar que conseguimos!

‘Tá claro que, na realidade, a Elsa faz a trança em apenas 1 segundo, como tem poderes mágicos (exactamente no minuto 3 do video – porque claro não se aguenta e vou ter que pôr). Confesso que também fiquei apanhada pela música… Aqueles casos em que primeiro estranha-se, depois entranha-se. Enfim… O que se há-de fazer??

LET IT GO! LET IT GO!

<Imagem Disney.pt>


Leave a comment

“Oh P’ra Mim de Turbante!”

… E a adorar!!

Quem gosta? Quem gosta?

Quem gosta, normalmente adora e quem não gosta, normalmente detesta. É, sem dúvida, uma peça de extremos e consigo ver os dois lados da coisa só dentro do meu grupo de amigos…

Eu adoro turbantes, principalmente, confesso, na praia ou em modo Verão… Adoro pegar num lenço ou echarpe e enrolá-lo na minha cabeça toda. Na verdade, adoro pegar num lenço para o que quer que seja! (É coisa séria e já vem de há muito tempo… click click! ) Na praia, na cidade e no campo, o que quer que se faça com um lenço, na minha opinião, está sempre certo!

Os Turbantes continuam a aparecer cada vez mais. Nunca se extinguiram por completo por causa das suas entusiastas que praticamente os mantiveram vivos em ‘época baixa’, mas desde há uns anos para cá, são uma escolha cada vez mais (bem…) escolhida no mundo da moda.

Quem experimenta e adora, não o consegue largar e essa é a verdade dos turbantes. E rapidamente, para quem os adora, pode-se tornar um vício e inevitavelmente uma imagem de marca da pessoa. Vem-me imediatamente o nome de Erykah Badu à cabeça… Que é até o nome que me dão quando uso um turbante… ADORO, claro!

“Oh P’ra Mim de Turbante como a Erykah Badu!! (wink wink)”

Os turbantes são incríveis como acessório de cabeça, super criativos e com tantos estilos quantos quisermos. Super fáceis de fazer e cheios de pinta e, na verdade, podem aparecer em qualquer ocasião. Depois de experimentar pode apetecer cada vez mais e mais e mais.

Oh P’ro vício a começar…!

A Mamã Hermès, que ensina a fazer vários nós possíveis com os lenços com os seus cartões maravilhosos (passo-a-passo, o que é óptimo para stressadinhas como eu…), tem uns tantos dedicados aos turbantes. Por agora, só consigo publicar estes, mas vou fazendo o update com mais.

Promiseeeee!

<Imagens Tumblr, Hermès, Harper’s Bazaar e Style.com>


Leave a comment

Aqueles Dias…

‘Aqueles’ dias acontecem de vez em quando. São aqueles dias em que nada corre bem. Há aqueles dias em que corre tudo bem, outros em que algumas coisas correm bem, outras mal e depois há ‘aqueles’ dias em que simplesmente nada correu bem.

Não que corra tudo tudo tudo mal mas é que não corre nada bem. E estranhamente esse factor é o que tem mais peso… É isso que mói o juízo!

Porque quando tudo corre bem, nós estamos na maior, certo? Quando tudo corre mal, nós aceitamos a falha e damos a volta. Mas se nada corre bem, nós damos voltas e voltas à coisa, na esperança de que com a insistência ou teimosia, a sorte ou ‘a coisa’ comece finalmente a correr bem. Dling Dling Dling! E é aí que o stress começa a entrar de fininho…

Parece que nada do que fazemos dá certo, e não corre nada mal MAS NADA CORRE BEM e é isso que não dá para aceitar. E entretanto, o stress ganha terreno e estamos tão alertas como um espresso italiano ou uma bela bica.

São aqueles dias em que 2+2 é igual a tudo menos 4, e podemos dar as voltas que quisermos, contorcendo-nos de todas as maneiras que a conta não vai bater certo, 2+2 não vai ser igual a 4 e pronto! É assim…

Nada a fazer, são ‘aqueles’ dias…  Alguém reconhece??

Nota: Não me estou a queixar (nãooooo???), embora ontem tenha sido um desses dias, estou apenas a fazer o reconhecimento oficial da coisa e  o seu modus operandi

Mas a verdade é que já os reconheço e antes que me canse demasiado a insistir – como já os topo bem a milhas – paro, respiro fundo e aqui vai o meu novo pequeno truque:

AI É ?? ENTÃO TAMBÉM NÃO VOU FAZER NADA BEM!!

Num finca-pé infantil mas que facilmente posso reforçar com a lógica einsteiniana, começo a fazer tudo ao contrário ou estranhamente diferente do normal (garanto por experiência que funciona!). Para Einstein (e para mim também, já agora)  a insanidade é fazer várias vezes a mesma coisa e esperar resultados diferentes, certo??

Então vou fazer tudo ao contrário! Nas coisas do dia-a-dia ou num momento especial, tanto faz. Por exemplo:

  • Almoço ou Jantar >> Começamos pelo fim, primeiro vem a sobremesa, depois o prato principal e acabamos com a sopa (comprovei também que com crianças conseguir chegar à sopa, é um milagre… )
  • Roupa >> Usar a roupa interior do avesso (comprovo a estranha sensação de libertação pessoal que traz…)
  • Passear >> Deixar a mala em casa (muito difícil, mas há que manter a disciplina do finca-pé, outra estranha sensação de libertação pessoal)
  • Lanche >> Uma margarita (ou outro cocktail qualquer), no lugar do chá ou do iogurte (um favorito)
  • Carro >> Não guiar e andar à boleia (não de estranhos, claro!)
  • Com crianças >> Só elas decidem onde vamos e o que fazemos (dentro do que é possível, claro, mas é um potencial  favorito e com direito a continuidade, delas e nosso porque sabe muitooooo bem!)

Enfim… São alguns exemplos mas é dar numa de Phil Dunphy com a sua melhor “Phil-osofia”:

“When life gives you lemonade, make lemons. Life will be like Whattttt??”

E assim em vez de chegarem as 9 da noite e só querer dormir para amanhã chegar mais rápido continuo o dia ao contrário com o que quer que seja que apeteça e estou tão stressada quanto um chá de camomila.

BAM!! Anulei o efeito stressante d’aqueles’ dias!!

Será que estou a crescer ou fiquei demasiado traumatizada??

<Fotografia de Terry Richardson>

 


Leave a comment

Como Fazer Uma Sombra Branca??

E cheiaaaaa de Pinta??

Na Primavera de Altuzarra, uma das coisas que se destacou imediatamente para mim e que acabou por dar algumas ideias, foi o look de beleza escolhido para a colecção. Como dentro de uma escolha muito minimal, preencheu tanto! O encarnado na boca já de si bastante forte, preenche bastante no que toca à maquilhagem e é preciso mesmo ter muito cuidado com tudo o que se põe no rosto depois de tomada a decisão de seguir com um bom baton encarnado, mas… E o Branco?

O Branco foi a cor escolhida para os olhos e seria de pensar que iria ser dominado pela força da cor usada na boca, mas NÃOOOOO, nem pensar! O branco marcou a sua presença elevando todos os looks a algo muito minimalista, simples, fresco ou mais e melhor, com uma inspiração muito japonesa.

Tom Pecheux tratou as pálpebras muito simplesmente com suaves toques dos dedos e com o Pure White Paint Stick da MAC, desde a linha das pestanas até à linha da sobrancelha e nos cantos dos olhos para iluminar ainda mais o olhar, mas sem carregar muito na cor, para não o deixar ‘pintado’. Depois, com um pincel suave e largo, retirou o brilho com o Powder Eyeshadow Gesso, também da MAC, porque como explicou: “If you use something very hard, (the color) is going to be very opaque and you will look like a panda.” 

Claro que não queremos isso! E claro que não usaria esta fórmula de Tom Pecheux na íntegra (ou seja, a ocupar tanto espaço à volta dos olhos) na ‘vida real’ – iria parecer o tal panda, de certeza -, mas dá óptimas ideias de como uma sombra branca faz a diferença e a parelha que faz com um bom baton encarnado.

Mas o uso do branco na beleza desta Primavera, não se ficou só por Altuzarra! Na apresentação de Kenzo e Ralph Lauren, o Branco também esteve bem presente no olhar das modelos, de diferentes maneiras, ou seja, com mais ideias para o uso da cor.

O look escolhido para a colecção de Kenzo foi uma linha branca, grossa e bem opaca, mesmo sobre a linha das pestanas, o que deu um impacto fantástico ao olhar e ao look total (da colecção).

Já em Ralph Lauren, o branco foi usado de uma forma mais clássica, com brilho e sobre toda a pálpebra a esbater apenas um pouco para fora, o que iluminou e abriu mais o olhar, num género quase etéreo.

Que tal? Quem vai nessa??

<Imagens Elle e Style.com>