No Gloves On


Leave a comment

O meu Drama Preferido desta Primavera

O volume nos braços e ombros sempre foi uma óptima forma de marcar uma posição muito clara e muito dramática numa peça, pelo menos para mim – talvez pela memória/história das mangas medievais à la Shakespeare – nada como uma boa manga bem volumosa e farfalhuda para chamar a atenção! Certooooo?

Tudo ganha uma dimensão muito além, com umas boas mangas bem destacadas e claramente a guiar todo o resto da colecção para uma Primavera ou Verão perfeitos, saindo da cidade dramática e cheia de mistério, a caminho de uma praia ou campo relaxante.

Enfim, nada como umas mangas bem volumosas para me deixar em pontas e de queixo caído. E se for então em tons simples e fortes aliados a um bâton encarnado statement como na Céline… TCHANANAN! Dramaaaaa!

Qual é o vosso preferido? ;)

<Imagens Vogue>


Leave a comment

Think ‘REBEL’ Pink

Dior SS 2016

<Imagens Vogue>


Leave a comment

Atenção! Aguentar Bem a Respiração Porque Vêm Aí os Espartilhos (e Atilhos)

Pois é… Vêm aí os Espartilhos!

E não apenas na forma clássica que os imaginamos… Aquela forma clássica dos espartilhos bem apertadinhos a definir uma cintura semi-natural, e bem atados por uma mãe ou ama com bons bíceps e muito boa vontade ao ponto de só deixar a filha respirar depois de o espartilho já estar bem atado (pelo menos é o que se vê nos filmes…).

Ufffff… Moda a quanto obrigas!!

Para mim, um pesadelo que só posso imaginar e que me faz agradecer o ter nascido no século XX!

Não! Os espartilhos que aparecem são (ao que parecem) bem mais naturais e bem mais simpáticos à forma humana, com formatos naturais e mais suaves na silhueta ou bem arquitectónicos como corpetes e decididamente vão andar por aí no Outono.

Espartilhos clássicos, românticos, sexy a piscar o olho ao fetiche mas, acima de tudo, em nada dolorosos para quem vai querer usar. Yupi!!

E não contentes apenas com a cintura, os espartilhos inspiraram até o calçado, e outros acessórios bem como peças de roupa. Os atilhos aparecem a atar calças e saias, casacos e camisas e (um dos meus atilhos preferidos da estação) a decorar as silhuetas Dior.

Wink wink!

Quem vai nessa??

<Imagens Imdb.com e Style.com>


Leave a comment

E Aqueles Olhos Dior da Colecção Resort? Hein??

Tão simples, tão modernos e tãooooo loucos!

Quem viu a colecção ficou de certeza muito apanhado e bem curioso sobre como fazer este look. Não foi??

Peter Philips, o novo director criativo de imagem e maquilhagem Dior, queria usar algo muito simples e muito clássico para esta colecção e claro, o eyeliner preto é ‘O‘ clássico, simples e eterno para os olhos como o encarnado para a boca…

O resultado foi um olhar super-intenso com a força clássica do eyeliner preto e o twist que Peter Philips lhe deu com duas linhas de eyeliner em vez de uma só, resultando num olhar super-gráfico e que mantendo a base do rosto bem fresca e limpa, cria uma intensidade de look memorável.

Ou seja, assim nasceu um novo clássico!

Então claro como é tão perfeito quanto os velhos clássicos e perfeitamente ‘usável’ off-runway… Interessa o ‘Como Fazer’, não ééééé??

Aqui vai:

Depois de usar o eyeliner liquido (Dior Addict It-Line) para um traço bem exagerado na linha das pestanas superior e inferior (tentar copiar as imagens da galeria em cima) com um movimento muito semelhante ao look cat-eye (aquele que se faz assim: click click!), passou por cima com a sombra preta (Dior 5 Couleurs Eyeshadow compact) para um acabamento suave.

Só isto! Mai Nada! Bem simples, fácil, prático, enfim… Só tenho adjectivos perfeitos para um look demasiado louco para não ser usado quase todos os dias…

Claro que não me aguentei e já experimentei e sim, é assim tão simples!

Facilmente se pode tornar um favorito…

<Imagens WWD.com>


Leave a comment

Como Vestir um Raio de Sol – Ou um Limão

Claro que se 3 faz uma tendência, o amarelo é que o ‘tá a dar!

As colecções Resort de 2015 elegeram o amarelo como a cor forte ou cor statement, definitivamente e quaseeeee sem dúvida!

Apareceu em 1001 colecções e em peças únicas ou conjuntos fortes num leque de tons desde o amarelo limão até ao ocre, e claro, bombaram!

Como aquela sobremesa de limão perfeita e distinta que aparece no final de um jantar perfeito, rematando tudo da forma mais deliciosa e ácida possível e que durante o resto da noite irá continuar bem presente na memória e nas papilas gustativas, deixando a boca cheia de água.

Que tal? Não é assim? Ou sou só eu maluca por sobremesas de limão…?

Sempre adorei amarelo e a força deliciosa que tem a cor. Existe algo de muito forte e sei que não é uma cor fácil de se gostar na generalidade ou mesmo de usar (para mim sempre foi, confesso…).

Ainda cheguei a ouvir algumas vezes aquela velha expressão “Se não fosse o mau gosto, o que seria  do amarelo” que vem lá de trás do tempo das avós ou lá do fundo da carruagem do comboio.

É que antigamente (pelo menos no tempo da minha Avó) fugia-se do amarelo como o diabo da cruz. Enfim…  “1000 vezes o meu amarelo (mau gosto) ao teu bege (insípido)” – que fique registado que gosto da cor bege, só não gosto ‘daquela’ forma de usar ou pensar bege…

Desde que vi pela primeira vez aquele vestido maxi da Rochas (este primeiro da galeria) que o amarelo se tornou, para mim, AQUELA cor das colecções Resort 2015. Portanto preparem-se! Quem adora amarelo vai vibrar com estas peças! E vai querer usar muitooooo esta cor. Porquê? Porque depois destes vestidos vai dar ainda mais vontade (a mim deu…).

Então ‘bora nessa!

Embora o amarelo não seja para todos (no registo clássico: not for the faint hearted), ele chegou e arrasou e quem não aguentar a luz dos seus raios de sol, não há volta a dar! Toca a dar descanso aos olhos com os wayfarer da moda, porque o amarelo está aí, vai brilhar e vai ocupar muito espaço…

Por mim, tudo bem!

<Imagem de David Downton e Style.com>


1 Comment

Os Colares Que se Vão Tornar Tendência – De Certeza…

Quem se lembra da colecção desta Primavera da Dior? Melhor… Quem se lembra daqueles colares??

Agora vai em modo de afirmação… Quem se lembra daquela colecção, lembra-se daqueles colares, de certeza absolutaaaaa! Porque são inesquecíveis!

E porquê??

Assim que os vi pela primeira vez, a serem passeados pela runway, fixei-me neles. Havia qualquer coisa de brilhante e muito familiar naqueles colares, nas suas formas, na forma como foram criados, no seu movimento, foi qualquer coisa ou tudo que me deixou logo hipnotizada. E cheguei à conclusão que é exactamente a sua forma orgânica única que os torna tão inesquecíveis e tão familiares.

Sim, toda a joalharia é inspirada na natureza e nas suas formas orgânicas ao(s) século(s), mas este formato específico de colar, é outra coisa completamente diferente. Diorganic – o nome da colecção – são cascatas de cristais e contas em resina que se agarram ao pescoço. sim! Porque não são peças fechadas e nem parecem sequer algo que foi colocado. Parece que naturalmente caíram sobre o nosso ombro e se enrolaram naturalmente com o movimento pelo pescoço como se acabássemos de sair do mar com uma alga (fabulosa, por sinal) agarrada ao nosso corpo. ‘Aquela’ alga que se meteu no meio do nosso mergulho e que decidiu sair connosco do mar.

Porque foi essa a imagem que tive imediatamente quando os vi pela primeira vez e ainda hoje tenho. A forma orgânica de uma alga. ‘Aquele’ género de alga…

Para outras pessoas certamente poderão lembrar outra forma orgânica da natureza, outra planta ou cachos de flores por exemplo,  porque este novo formato além de ser uma criação incrível para o mundo da joalharia, vai-se tornar certamente  uma tendência.

E que muito provavelmente irá até ganhar um nome próprio muito especial para este tipo de colar – que não foi colocado mas que apenas pousou no nosso pescoço – aberto e solto,  como uma forma orgânica que nos acompanha mas que parece ter vida própria e que pode decidir pular fora quando quiser.

Não tenho 100% de certeza absoluta, mas quase!

Vamos a ver…

E que tal? Não são inesquecíveis??

<Imagens Dior.com, Style.com>


Leave a comment

Dior In Da Houseeeee! Whatz Up Brooklyn!!

Ou o dia em que a Casa Dior disse:

Salut Brooklyn! Nous sommes arrivés.

Alexander Wang foi o pioneiro, sem dúvida, em Fevereiro quando apresentou a sua colecção em Brooklyn e obrigou a malta toda, no meio da correria de uma Fashion Week, a sair de Manhattan para a sua apresentação. Mas embora uma grande mudança para o mundo da moda, para Alexander Wang seria talvez algo não inesperado. Agora, quando a Casa Dior vai apresentar a sua colecção Resort a Brooklyn, precisamos de uns segundinhos para encaixar.

E encaixou muita bem!!

Têm sido tempos fantásticos de acompanhar no mundo da Moda, tempos de muita mudança – e boas mudanças BTW – a cada estação que passa, faz-se um bocadinho (ou um bocadão >> click click!) mais de história.

Quanto à colecção Resort da Dior…

Uma ode à mulher americana em todas as mulheres, com um toque muito parisiense, o Lenço. Presente em toda a colecção, em padrões (muitos vindos dos arquivos Dior), na fluidez das peças, em acessórios, nos sapatos, e muito especialmente – para mim – nas sandálias rasas, que me encheram as medidas!

Enfim… Dior in da House!

<Imagens WWDStyle.com>