No Gloves On


Leave a comment

Azul é a Cor mais Quente deste Verão ;)

jonathan-saunders-ss-2016-NGO-d

<Imagens Vogue>

Advertisements


Leave a comment

Think ‘REBEL’ Pink

Dior SS 2016

<Imagens Vogue>


Leave a comment

Cucú! E o Adeus a 2014

Pois…. Quem é vivo sempre aparece, certo?? Tenho andado em correrias e não tenho conseguido parar aqui (infelizmente para mim…), mas não posso sair deste ano sem um ‘cúcú’ a desejar Bom Ano para todos!

Adeus 2014!

Foi um ano em GRANDE, não foi??

E a mensagem para 2015…?

Não costumo ter resoluções, nem mensagens, talvez desejos optimistas e objectivos o mais realistas possível como num plano de negócios, mas houve uma mensagem que em 2014 se destacou e é a única que me vem à cabeça – Estava nos placards de protesto no Boulevard Chanel, lembram-se? >> click click!  E embora todos tenham uma mensagem incrível a ser passada, esta parece-me a melhor para um Adeus a 2014 e um Olá a 2015…

‘Be Your Own Stylist’

Adorei!

<Imagem Stylebubble.co.uk>


2 Comments

E Textura nos Cabelos de Outono??

Se tivesse que escolher uma tendência preferida para os cabelos de Outono, escolhia a textura. Todos os outros ficaram a meu ver arrumados a um canto pela textura dos looks de Outono da Givenchy e da Chanel.

TEXTURA! TEXTURA! TEXTURA!

Cabelos entrançados e carregados de relevo ou cabelos com berloques e apliques deliciosos.  Aquele rabo de cavalo Chanel… Cheio de volume, mas um volume estranhamente natural com tranças de cabelo pelo meio e ainda tiras de tweed, berloques, pérolas, tranças de tecido, etc., etc., etc. – O que é que não está naquele rabo de cavalo, não é??

 

Resultado: BRUTAL!

E aqueles entrançados Khaleesianos* da Givenchy (*Game of Thrones)? Em parelha com o acessório de cabelo (ou acessório de rosto) dos quadrados encarnados ligados por um fio num facial-lifting instantâneo, resultaram num look super dramático. Claro que não recomendo o acessório (pelo menos assim à vista…) mas a textura no cabelo com aquelas tranças…

WOW!

<Imagens VogueStyle.com>


1 Comment

Chanel e a Colecção Primavera 2015… Por onde começar? Como começar?

Respirar fundo… Ok… E agora??

Quem viu o que se passou percebe o quanto uma pessoa pode estar completamente perdida sem saber por onde ou como começar a escrever sobre esta colecção…

Enfim… On y va!

Era uma vez uma rua – ‘Boulevard Chanel’ – totalmente criada para apresentar a colecção da casa Chanel para a Primavera 2015 dentro do Grand Palais (parece-me bem começar assim…).

As modelos aparecem e começam a desfilar a colecção livremente em modo conversa de rua e da forma mais natural possível. Entre tweeds, aguarelas, um toque militar, flores, malhas, pérolas, acessórios – ai! os acessórios… – o espírito Chanel estava uma vez mais presente da cabeça aos pés, principalmente, claro, nos casacos.

Os casacos Chanel – a inovação, a dádiva ou o presente de Coco Chanel às mulheres – ultra-elegantes e perfeitos para acompanhar naturalmente o movimento do corpo feminino. Até se poderia dizer que seriam perfeitos para acompanhar um protesto feminista… Porque não? Quem sabe??

As cores… Que impacto! Que beleza!

Os sapatos… Um bocadinho masculinos e um bocadinho femininos e super-divertidos! Tenho sempre a sensação que Karl Lagerfeld se diverte mais do que qualquer pessoa a desenhar as suas peças. Talvez no chão da sua sala com o som de desenhos animados no fundo, talvez…

Mas havia mais qualquer coisa…

Ah sim! Um protesto feminista mesmo!

Ali vêem as modelos, feministas numa marcha de protesto a descer uma rua imaginada mas que será vista por todo o mundo, num show brilhante e inevitável de Karl Lagerfeld com os seus dois amores que refere, a Moda e o Feminismo (a sua Mãe era uma feminista).

No meio dos placards, slogans e megafones bem altos para captar a atenção – se é que alguém não estivesse a prestar atenção, ainda… – esta finale excede-se com a sua relevância dado às noticias do mundo, do momento ou de outrora, das manifestações e dos protestos sociais.

Tudo ligado ao momento, ali e ao mundo! Brilhante.

 

<Imagens Style.com e Tumblr>


Leave a comment

Quando em Dúvida, Usar um Cafetã!

O Cafetã é uma das peças eternas do nosso guarda-roupa. Terá sempre lugar em praticamente todos os roupeiros e nunca fará parte de um passado distante. Nasceu num passado distante, sem dúvida, mas continua a aparecer no presente constantemente para fazer parte do futuro.

Está sempre presente como inspiração ou influência nas colecções de Primavera/Verão mas (principalmente) onde agora brilha mais é nas colecções Resort, porque se sente completamente em casa! Enfim… Estar em modo Resort é muitas vezes estar em modo Cafetã…

Além de ser a peça clássica que faz parte dos nossos sonhos passados a beber chá (ou água ou martini) no deserto, faz parte também da nossa vida fora do deserto.

É um peça hiper-versátil que pode acompanhar um dia de férias, do seu inicio até ao fim. Perfeito mesmo para um dia de Verão (perfeito)… E posso provar:

  • De manhã, acordar, espreguiçar, levantar, tomar o pequeno-almoço, um duche rápido e ‘Olha, o Cafetã à nossa espera!’ – também podemos vestir imediatamente ao acordar por exemplo, ou também para dormir, porque não…
  • Vestir o fato de banho ou bikini e o cafetã e… Almoço (ou o Brunch da moda…) com família ou com amigos ou… Praia! ‘Olha olha, lá vai o Cafetã para a praia!’
  • Depois da praia ou do almoço, passear pela cena urbana e ‘Lá está o Cafetã, no seu passeio pela cidade…’,

OU

  • Se sair da praia ao fim do dia, ou chegar a casa tarde, um duche super-sónico para ganhar tempo para a hidratação (tem que ser, mesmo) e para o cabelo, calçar umas sandálias e enfiar uma peça versátil o suficiente para poder jantar com os amigos e com um colar metálico bem simples, numa varanda qualquer (ou esplanada, ou churrasco, por exemplo…) ou para um evento mais formal como um cocktail e depois ainda nos poder seguir facilmente para onde quer que a noite nos leve (música, dança, conversa, ou namoro)… AHA! E o que levar??

Claro, o Cafetã!

P.S. >> A única pancada ou mesmo vício que tenho e que não consigo controlar face a um cafetã é usá-lo sempre com acessórios ‘gigantones’. Com brincos megalómanos, ou colares compridões, ou pulseiras bem gordas e anéis XL… Não me controlo, mesmo!  Para mim, é a única necessidade face ao cafetã…

<Imagens Style.com>


Leave a comment

O Verdadeiro Estado de Graça

Pois foi… Ontem, Paris foi uma vez mais surpreendida por Karl Lagerfeld. Quem rematou a apresentação da colecção Chanel de Alta Costura, foi uma noiva grávida! Sim! Resplandecente, Barroca e Brutal, como toda a colecção. Um verdadeiro estado de graça, forte e poderoso.

E, claro, fui completamente transportada para as minhas memórias – bem recentes, diga-se! – da gravidez. É o verdadeiro estado de graça, pela felicidade, força, segurança e poder que transmite. Estar grávida, para mim foi uma das melhores sensações que já experimentei na vida. Para além da felicidade que nos transcende, todo o orgulho e força que se sente como pré-mamã é algo que anda escarrapachado na cara e o impacto visual da coisa, é este.

E Karl Lagerfeld fez questão de lhe dedicar a finale.

Uma mulher grávida é uma mulher forte e poderosa, sempre! Mesmo num dia ‘não’, tem um estatuto muito próprio, como o de realeza!

Para algumas pessoas pode não ser exactamente um estado de graça, existem gravidezes muitooooo complicadas, mas eu fui uma das sortudas. Estar grávida soube-me bem – das duas vezes – tanto que a ideia de uma terceira vez não me assusta. Claro que também tive alturas bem chatas e filhas da Piiiii (no fundo, como em tudo, não é?), para mim e para os outros (ai as hormonas…!) mas, no geral, só tenho boas memórias! (ter memória selectiva também ajuda…)

E ao contrário do que antigamente era ‘de bom tom’ para uma grávida – a minha Avó conta que, no seu tempo, a grávida elegante era a grávida que melhor conseguisse disfarçar a barriga – hoje, este estado de graça é para estar bem à vista e com muito orgulho, muito estilo e muitaaaaa pinta!

<Imagens Style.com, Pinterest, Tumblr, Harper’s Bazaar, The Sartorialist e Tommy Ton>