No Gloves On


Leave a comment

Cabelo: O Efeito do Desfeito

<Imagens Vogue>

Advertisements


Leave a comment

Ouro ou Prata para a Rainha??

Saint Laurent SS 2016

<Imagens Vogue>


2 Comments

E Textura nos Cabelos de Outono??

Se tivesse que escolher uma tendência preferida para os cabelos de Outono, escolhia a textura. Todos os outros ficaram a meu ver arrumados a um canto pela textura dos looks de Outono da Givenchy e da Chanel.

TEXTURA! TEXTURA! TEXTURA!

Cabelos entrançados e carregados de relevo ou cabelos com berloques e apliques deliciosos.  Aquele rabo de cavalo Chanel… Cheio de volume, mas um volume estranhamente natural com tranças de cabelo pelo meio e ainda tiras de tweed, berloques, pérolas, tranças de tecido, etc., etc., etc. – O que é que não está naquele rabo de cavalo, não é??

 

Resultado: BRUTAL!

E aqueles entrançados Khaleesianos* da Givenchy (*Game of Thrones)? Em parelha com o acessório de cabelo (ou acessório de rosto) dos quadrados encarnados ligados por um fio num facial-lifting instantâneo, resultaram num look super dramático. Claro que não recomendo o acessório (pelo menos assim à vista…) mas a textura no cabelo com aquelas tranças…

WOW!

<Imagens VogueStyle.com>


Leave a comment

A Trança da Elsa E Como Ser a Tia Preferida das Sobrinhas

Para quem tem sobrinhas como eu, este é o post mais importante do momento.

  • “Tia, Tia, como é que se faz a trança da Elsa?”
  • “Quero uma trança igual à da Elsa!”
  • “Vá lá, Vá lá!”

… Ring a bell??

Então aqui vai o ‘Como Fazer?‘ mais importante do momento, pelo menos para umas tantas meninas por aí, vai fazer sucesso. Aviso que é um bocadão trabalhoso e para o tamanho de cabelo das miúdas normalmente implica o comprimento de cabelo um pouco abaixo da linha dos ombros ou uma peruca mesmo, mas é possível.

E como quero manter o status de ‘Tia Preferida’ (as espertalhonas devem dizer o mesmo a todas, para conseguir o que querem, estou mesmo a ver…!), tenho que ter sempre estes ‘docinhos’ que elas gostam, certo? Então mãos à obra, há que acreditar que conseguimos!

‘Tá claro que, na realidade, a Elsa faz a trança em apenas 1 segundo, como tem poderes mágicos (exactamente no minuto 3 do video – porque claro não se aguenta e vou ter que pôr). Confesso que também fiquei apanhada pela música… Aqueles casos em que primeiro estranha-se, depois entranha-se. Enfim… O que se há-de fazer??

LET IT GO! LET IT GO!

<Imagem Disney.pt>


Leave a comment

Vê Lá Onde É que Cortas, Oh pahhhh!

Chega uma altura inevitável na vida de um cabelo – acontece a cada 10 anos, 5 ou mesmo 2 anos, dependendo da forma como está cuidado – o corte brutal!

O cabelo está a precisar de mais qualquer coisa e a rotina normal não chega, ou simplesmente queremos aquela boa sensação de mudar o look do cabelo.

Costumo cortar o cabelo 2 vezes por ano, no início do Outono e no início da Primavera, mas não é o corte brutal, é apenas um corte de ‘manutenção’ para dar um boost para as estações frias e quentes. Normalmente para o Inverno vai mais curto e bem direito e para o Verão mais comprido e bem escadeado – porque o meu cabelo é comprido, liso e demasiado grosso (quase juba) para conseguir sempre ter mão nele. Nota: para mim comprido quer dizer, no limite dos limites, um palmo abaixo da linha dos ombros.

Jim Morrison deixou o alerta: ‘Some of the worst mistakes of my life have been haircuts’ e para mim faz sentido dar atenção ao que o homem disse, é melhor abordar a necessidade destes cortes com cuidado e algum medo…

Mas enfim, chegou a hora! Já não sou só eu que sinto, o espelho também já vê!

Então, ‘bora pro cabeleireiro!

E normalmente vai assim:

– Então como é que vai ser? (pergunta-me a cabeleireira enquanto analisa o meu cabelo molhado com os dedos em forma de pinça)

– Está na altura do grande corte… (digo bem confiante ou a tentar mostrar confiança, não sei bem qual)

– Pois… (pausa… sem tirar os olhos do meu cabelo e a boca num trejeito de quem vem com más noticias)

Pronto, lá se foi a confiança!

– Então? (só as minhas pupilas mexem…)

– Eu vou ser honesta – (porquê??) – Convém dar mesmo um bom corte…

– Por onde?? (agora as pupilas já não reajem…)

Se for até à linha dos ombros, siga! Se traçar uma linha pelo pescoço, nada feito!

Já nos conhecemos há algum tempo, e ela sabe que para lá da linha dos ombros – e sem vodka à mistura – para não dizer impossível, digo que é muito muito pouco provável (só 1 vez em 10 anos, e não voltará a acontecer tão cedo…).

– Vamos ver! (e agarra na tesoura, confiante…)

– Mas não me corte para lá dos ombros! (na minha insegurança sinto necessidade de relembrar o acordo)

Ela sorri (misto de sorriso maternal com o olhar Sweeney Todd) enquanto me agarra no cabelo puxando e esticando bem e segurando-o todo num grande rabo de cavalo e…

SUCA! (eu e a cadeira somos um só, as minhas pupilas dilatam-se…) O cabelo cai para a frente e fica 2 dedos abaixo da linha dos ombros…

– Pronto! – diz, orgulhosa, com um troféu de cabelo cortado na mão esquerda – Agora vamos lá tratar deste cabelo! (observo-a ainda com as pupilas dilatadas, ela tirou prazer do que fez…)

Eu sei que o que ela fez, fez bem, já aconteceu antes, e é uma maneira de ‘matar o bicho’ de uma vez por todas em vez de me deixar na agonia de ver o cabelo a ser escortinhado lentamente e que só iria resultar numa cena de observação felina num estudo muito desconfortável de todos os seus movimentos, MAS fico em choque, não consigo tirar os olhos do espelho e a minha cara ficou sem expressão…

Estou algures no meio de uma sensação deliciosa de liberdade e o frio do bloqueio. Olho para a cabeleireira à procura de alguma segurança… É que ela é muito boa no que faz, é uma das melhores e sabe isso, e a sua atitude acaba por me dar confiança quando não me sinto muito segura do processo de corte drástico pelo qual o cabelo tem que passar.

Ela nem olha para mim, precisa de espaço para fazer o que sabe, e isso dá-me a segurança que preciso.

Dá voltas e voltas ao meu cabelo e, finalmente, está satisfeita!

WOW ! Neste momento estou em adoração ao meu cabelo ‘novo’…

– Vê??

Orgulho e vaidade, estão escarrapachados na cara dela, e com razão…

No final de contas, acabou por não ser preciso subir muito o corte, ela achou maneira de conseguir tirar tudo o que tinha que sair sem que subisse a linha dos ombros, num fantástico long bob, bem rente aos ombros pela frente e escortinhado um pouco mais curto lá para trás…

GENIOUS!!

 

<Fotografia de Patrick Demarchelier>


Leave a comment

O Que É Que Se Passa Com o Óleo de Coco??

Ando a ouvir histórias sobre o milagre do Óleo de Coco por todo o lado… Como o tratamento de beleza para, enfim… TUDO?? Para a pele e para o cabelo e também como óleo alimentar. Os benefícios da Água de Coco já foram mais do que comprovados – para além de ser deliciosa, é ultra-ultra-ultra-hidratante – mas e o Óleo de Coco??

Já percebi que faz parte do grande e misterioso caldeirão das bruxas da beleza ao século – juntamente com o resto dos feitiços – mas assim, em estado puro e bruto??  Alguém já experimentou? Comprovou? Quer partilhar?

É que supostamente tem voado das prateleiras das lojas…

E embora a ideia de ter um tratamento de beleza que também seja usado para temperar saladas, me deixe logo a nuca arrepiada, bem como a ideia de  andar envolta no aroma de coco – que me transporta imediatamente para os Verões do anos 80 e para o enjoo da moda do óleo (repelente) de coco na praia – o meu lado curioso contrapõe  imediatamente o meu lado reticente com um argumento:

Também existem tratamentos de beleza com chocolate, não ééééé?

E a melhor advogada do Óleo de Coco tem sido a super-modelo Miranda Kerr, então… Se é bom para ela, pode ser bom para mim, righttttttt?

A lista dos milagres é grandota e dá que pensar porque, além de ser um óleo naturalmente anti-bacteriano e antifúngico e poder reforçar o sistema imunitário, no campo da dermatologia tem sido alvo de pesquisa para tratar alguns quantos problemas de pele, pode até acelerar o processo de cicatrização e também aumentar o nível de hidratação e reduzir a perda de água das peles mais secas.

Pode ser usado como:

Hidratante de Corpo, de Rosto (dependendo sempre do tipo de pele, claro), para as Mãos Secas, para prevenir e tratar as Estrias durante a Gravidez, para besuntar as pernas depois da Depilação e mesmo no lugar dos cremes ou espumas para a odiosa terrível depilação com lâmina.

Limpeza e Desmaquilhante natural para o rosto e muito mais importante para os olhos porque é óptimo (dizem os testemunhos…) para retirar principalmente aquela maquilhagem mais forte (de cor ou textura intensa) – fiquei muito curiosa com este milagre!

Dica: Pôr um pouco (pouco mesmo – não deixa de ser óleo…) num disco ou bola de algodão e passar pelas pálpebras e pela zona abaixo dos olhos, e outro para a pele do rosto, e depois de acabar é só preciso lavar a cara com o produto que usamos normalmente. O rosto e especialmente a zona delicada dos olhos fica super hidratada.

Máscara de Cabelo porque consegue penetrar os tecidos do cabelo muitoooooo melhor que outros óleos. – também super curiosa com este milagre!

Dica: Passar o óleo pelos cabelos, pentear e enrolá-lo num carrapito. Depois (no caso de fazer o tratamento durante a noite) é melhor cobrir a almofada com uma toalha para proteger o tecido da almofada e  dormir descansada. No dia seguinte lavar o cabelo como normalmente (shampoo e amaciador, etc.).

Outra Dica: Para dar algum brilho (finalizador) ao cabelo depois de o secar. Passar um pouco (muito pouco) de óleo pelas palmas da mão e passar nas pontas do cabelo (só nas pontas – nem pensar em aproximar do couro cabeludo senão só consigo imaginar o efeito gorduroso…)

Óleo de Massagens ou Tratamento para Esfoliar a pele, com um pouco de Açúcar Amarelo ou Sal – que deve ser qualquer coisaaaaaaaaaaaaa!

Enfim… Ainda não experimentei, em nenhuma das formas de que se fala, mas devo confessar que estou muitooooo curiosa.

Para quem gosta do cheiro (há muito boa gente que não suporta o cheiro de coco – nem consigo imaginar como explicar o cheiro a piña colada ao meu querido namorado), além de ser um tratamento de beleza super acessível e barato, pode ter 1001 usos. O que desperta imediatamente a atenção!

Não sei se me atrevo a tudo mas como tratamento para o cabelo – principalmente e para começar – parece-me muito bem. Então, haja coragem!

I’m game!

<Imagens (de cima) por Helmut Newton e (galeria) Pinterest>


Leave a comment

Cabelo Branco – Quem Quer, Consegue…

O Cabelo Branco é um susto para muitas (e muitos). Ter um cabelo branco ou dois, ou 20 ou mesmo metade da cabeleira com fios de cabelo carregadinhos de ‘experiência de vida’ que não estamos nada preparadas para aceitar – e ainda para mais completamente diferentes do resto do cabelo (mais fortes e mais resistentes) – é no mínimo chato, certo? A Piiiiiiiiiiiiiii da Idade que sabe bem ter para algumas coisas mas que no mundo da beleza, é o alvo a abater!

Normal… Para mim, pelo menos, os cabelos brancos só existem para obrigar a passar mais tempo no cabeleireiro.

Mas e o Cabelo totalmente Branco? O Cabelo Branco por escolha?

É algo totalmente diferente e diga-se, sem dúvida, com muitaaaaaa pinta!!

Ainda hoje entrei numa loja a correr e à minha frente estava uma senhora (algures nos 40, a caminho dos 50) com a cabeleira totalmente branca (sem uma pinta de cinzento). Era um branco lindo, bem tratado e com um corte a direito pelos ombros e franja – o mais moderno possível – e dei por mim parada e completamente obcecada por aquele cabelo (pensando agora, espero que não tenha sido demasiado óbvio e não tenha parecido a maluquinha do sitio…).

É que sempre adorei ver cabelos totalmente brancos e em pessoas de todas as idades, nos 20, nos 30, nos 40, nos 50, 60, 70… Por aí fora. Porque, na verdade, a escolha do branco não precisa da idade para o merecer, precisa sim de uma escolha ou uma vontade, um statement, talvez… Acaba por funcionar como a escolha de qualquer cor, até o cinzento (tem exactamente o mesmo tipo de cuidados e de tratamentos) e é apenas uma questão de beleza que nada tem a ver com a razão que todos detestam – a de serem lembrados que o nosso cabelo não nos considera jovens, por muito que o resto do corpo (principalmente o cérebro) faça questão de discordar.

O Cabelo Branco é uma escolha muito forte e muito avant-garde e, com um corte fantástico, pode deixar qualquer outro look encostado a um canto, ‘menos forte’ ou com ‘menos graça’, porque exige uma vontade e uma escolha muito pessoal e muito segura.

Será que é preciso muita segurança para usar esta cor? Talvez, como qualquer outra cor que fuja às cores ‘naturais’ humanas, se bem que o branco ainda é a mais ‘natural’ de todas elas…

<Imagem (de cima) W Korea (galeria) Harper’s Bazaar, Pinterest, Le 21ème, Style.com>