No Gloves On


Leave a comment

Cabelo: O Efeito do Desfeito

<Imagens Vogue>


Leave a comment

A Re-volta do Caqui

E como um bom filho que volta sempre a casa, o Caqui volta e meia dá a cara em mais uma estação!

Desde miúda sempre tive uma pequena (ou gigante…) obcessão com África. A África no seu núcleo mais puro, a África que pertence à terra e aos animais e onde os humanos estão apenas de passagem com poucos territórios onde podem habitar no meio da imensidão de África.

Claro que a realidade é praticamente o inverso do meu sonho e claro que é um sonho, uma utopia, mas ainda assim e já que estou a sonhar mesmo, prefiro África assim.

E claro, se existe algo no mundo da Moda, que nos transporta imediatamente para essa África, é o Caqui. Apareceu com o Exército Indiano (quando sob comando Britânico) e rapidamente se espalhou por outros tantos exércitos e claro, a moda pegou também para os civis. Entrou em África  com as bagagens dos ingleses na sua era colonial e nunca mais voltou a sair.

Espalhou-se pelo mundo e volta sempre  como tendência recorrente no mundo da Moda.

Nestas colecções Resort 2015, o Caqui ou as ‘cores de terra’ aparecem com novas versões das suas peças mais tradicionais.

E claro, sempre que o Caqui faz uma visita às colecções, os meus olhos fixam-se imediatamente nas peças e inevitavelmente fico bloqueada nas minhas peças em caqui durante uma semana (se não for um mês…).

Tenho um vestido, muito ao estilo do vestido Burberry Prorsum (da galeria em baixo), que volta e meia está a ser usado como vestido, mas também como casaco de Verão.

Será este o mês Caqui??

<Imagens Imdb.comStyle.com>


Leave a comment

Cu-Cu!! – O Síndrome do Buraquinho na Parede

Para uns é o buraquinho na parede, para outros, o buraquinho da fechadura de uma porta, tem uma força de atracção muito especial e muito vergonhosa, mas muito humana (pelo menos posso confirmar com alguns humanos que conheço…). Só com juízo e muito tento é que não devemos ceder. Não deixa de ser um síndrome de mirone, não ééééé??

Enfim, vergonhoso não é sentir a atracção por espreitar, é no ir espreitar que está a indecência.

No mundo da moda, aquele recorte específico naquela peça de roupa faz o mesmo. E é o quê, exactamente? Suspense, intriga…? Porquê a atracção por aquele recorte? Será sedução?

Ou será só a nossa pele a espreitar? Cu-Cu!!

Além de ser o factor íntimo da coisa – ‘aquele’ pedaço de pele que estamos a mostrar através ‘daquele’ recorte no vestido -, é engraçado como os recortes de vários tipos, géneros e feitios podem dar à roupa, às pessoas que as usam e às pessoas que as vêem, algo especial como por exemplo, uma outra forma de sedução.

Desde há umas estações que os recortes têm vindo a aparecer. Ganham cada vez mais lugar de destaque na construção das peças de colecção em colecção. Nas colecções Resort de 2015, estão tão em grande que já viraram tendência.

Se são precisos 3 para ser tendência, toca a mostrar aquele bocadinho de pele!

Boa?

<Imagens Harper’s Bazaar e Style.com>


Leave a comment

Gisele do Outro Lado do Espelho… (Partido)

Claro que a imagem chama logo a atenção por ser a fotografia fabulosa que é de Steven Klein, mas imediatamente de seguida, percebemos de quem se trata e a imagem ocupa-nos a cabeça com uma pergunta:

‘Para onde é que foi aquele cabelão todo??’

A resposta…  ‘Por trás de uma cortina de Photoshop…? Não acredito que tenha ido para o chão de um cabeleireiro – para ser provavelmente transformado numa das perucas mais caras de sempre – seria… (sei lá!) drástico (…?)  porque (sei lá!) o cabelo da Gisele Bündchen é a imagem dela…??’

E depois de andar perdida com esta questão e no meio destes pensamentos sobre a importância do cabelo na beleza e na vaidade feminina, cai a ficha… Bravo Alexander Wang!

Mais uma vez conseguiu passar a mensagem da forma mais surpreendente possível…

Um quarto de espelhos partidos e o corte drástico de um dos cabelos mais poderosos do mundo da moda (Dalila-style!), são a metáfora perfeita para brincar com a ideia de vaidade feminina. A fotografia fria e muito poderosa transmite como Alexander Wang vê a mulher Balenciaga para este próximo Outono:

“This is how I see Gisele for Balenciaga; strong, powerful, mysterious and uncompromising.”

GOT IT!!


1 Comment

A Primavera Começa com Uma Camisa

Porque estamos oficialmente na Primavera – Huzzah! Hoorah! Hooray! – resolvi celebrar como, COMO??

Com uma camisa ultra compridona e que já tem alguns anos – daquelas peças que ficam para sempre – e um cinto bem largo a ‘selar o embrulho’ bem na cintura, porque enfim… Hoje o tempo não me inspirou para flores, talvez me tenha inspirado mais para o look escritório, mas como também as camisas estão em power mode nesta Primavera, e como sou fanzaça da Camisa – uma das minhas pièces de résistance >> click click! – assim foi!

Para a Primavera, a Camisa apareceu de várias formas e feitios e cheiaaaaaaaa de pinta! Foi para mim uma das tendências que mais me divertiu enquanto ia descobrindo as várias perspectivas dos vários criadores. E são tantas as formas de usar, possíveis looks e para tantas ocasiões…

Por mim ando feliz da vida por ter começado a Primavera assim!

Tenho uma paixão por peças ultra-versáteis que puxem pela criatividade ou no caso de preguiça, que sejam tão simples de usar que não seja preciso muito para funcionar. E embora hoje o Sol não esteja a brilhar, estamos finalmente na Primavera e está na hora de dar corda à imaginação para uns looks ultra primaveris!

Não éééééééé??

<Imagens Style.com>


Leave a comment

Porque é que o Branco sabe Tãoooooo Bem?

carla-bruni-mario-testino-pinterest-NGO

SOL!!

Ao contrário do que a má-língua andava a prever, O SOL ESTÁ AÍ!! E tem acompanhado este dia desde manhã bem cedo, ainda que com frio mas… (honestamente…) WHO CARES??

E sim sim, eu sei…! É por pouco tempo, MAS não interessa! Hoje vive-se o dia como se fosse já Primavera e é importante começar a habituar a vista à luz do Sol, porque a Primavera ainda pode demorar, mas vai chegar, e não podemos andar aí como toupeiras, sem ver um palmo à frente.

E é aqui que entra a vontade/necessidade/obsessão por um look totalmente branco!! Largar as cores escuras (por um dia só, claro! Não estou doente…) e vestir só só só Branco, como um dia de detox. Acontece muito de vez em quando, mas acontece! E não é só a mim, existem pelo menos mais 5 pessoas (que conheça) com os mesmos sintomas.

Porquê??

Claro que grande parte poderá ser por ter ficado gá-gá com vários looks brancos que apareceram nas colecções de Primavera e que me encheram totalmente a vista, da Chloé, Balenciaga e Felipe Oliveira Baptista também… Mas é mais que isso…

Será vontade de reflectir toda a luz do Sol que aparece?

Será vontade de celebrar uma Pré-Primavera com a cor menos escura de todas?

Será mesmo um detox? Ou um intermezzo para limpar o paladar (ou a vista)?

Ou será só uma defesa ou um acesso de fúria em forma de greve às cores escuras e ao Inverno?

Penso também se, quando me canso dos meus looks pretos – que é raro ou raríssimo… -, não precisarei de um dia com um look totalmente oposto para poder manter a paixão acesa…?

Porque muito facilmente consigo usar um look totalmente preto, mas muito raramente um branco. Fora o branco total on the runway, ou em fotografias ou campanhas, acho até que conseguir tirar do roupeiro um look branco muito interessante pode ser um maior desafio do que um preto, parece envolver muito mais cuidado, complexidade e perspicácia , ou não é?

<Imagens (de cima) de Mario Testino e (galeria) Style.com>