No Gloves On

Lazy Sunday…

Leave a comment

Advertisements


Leave a comment

Já Tá Tudo a Derreter?? Então aqui vão… 3 dicas

3 Dicas para um final de tarde de Verão: (sim, embora seja oficialmente ainda Primavera, vamos assumir o Verão, boa?)

Se não estão na Praia, vão para a Praia (agora, a sério!)

Se não estão dentro de água, vão para dentro de água (sim, a sério!)

Convidem os amigos para a praia e para um mergulho ah! e para jantar! (sim, isto são dicas, a sério!)

Vistam um vestido bem fresco e tenham uma noite de verão daquelas!

Gostaram das dicas?

Talvez sejam mais de 3 e são bem simples, mas são as melhores dicas para um dia como o de hoje, ou não são??

hahaha

E é isto!

Que saudades…  Eu vou nessa…


Leave a comment

O Bom, O Óptimo e o Vilão

Não passo cá ao século e quando passo, o que trago comigo é logo um stressezinho para partilhar e para ajudar a começar o dia. Boa??

Então aqui vou eu…

Normalmente tento não inspirar a mentira ou pelo menos não lhe dar um valor muito positivo. Mas neste caso e como apenas se trata de um vestido, fui bem apanhada a mentir, e o fim já estava alcançado, sinto-me segura (mais ou menos) para escrever.

Havia um problema, tinha que comprar um vestido (que não era o problema, claro…) para um evento muito especial para um dia que tanto eu como o meu namorado marcámos como especial. Era solene, portanto não seria casual e era daqueles momentos fantásticos que para pessoas casuais como eu, sabe sempre a coisa fresca, exactamente por ter que me esforçar um pouco mais para conseguir um look ‘a minha praia’ dentro do registo ‘formal’.

Comprei um vestido. Lindo, que me ficava bem, mas não fantástico e como o dia estava cada vez mais perto e com medo que desaparecesse e lembrando sempre a máxima que o meu pai me passou – ‘o óptimo é inimigo do bom’ – comprei e não pensei mais.

Eis que se torna um problema quando num destes dias, antes do evento, numa corrida rápida a um centro comercial para apanhar várias coisinhas de cacaracá que só se encontram todas concentradas nesse mesmo local (e que para quem tem pressa é fundamental), de repente esbarrei com ‘O’ vestido fantástico.

Aquele que não é bom, é óptimo e no fundo é também vilão! Mental block, à seria…! E agora? Sim, porque só me autorizei a um vestido- não há ‘tempo’ para dois – e o ‘tempo’ que tinha, já tinha sido gasto num.

Merda! E agora??

Sou uma pessoa bem racional e não me considero louca por consumismo com apenas alguns devaneios de loucura no meu portfolio, os quais tenho noção das consequencias antes de os cometer. Raramente faço loucuras das quais sei que me vou arrepender 5 minutos depois porque o aperto na garganta que me vai assombrar por dias não vale a pena. Mas teve que ser, não aguentei, ali, naquele momento, comprei e disse para mim mesma que depois pensava no assunto.

Não sou nem pouco mais ou menos aquela pessoa que perde a cabeça, a carteira e o orçamento familiar nas compras. Mas…

O ‘chegar a casa’ com um saco megalómano suscita muitas perguntas de uma menina de 4 anos, muito curiosa e que já tem olho para a moda (muito mais do que eu alguma vez tive antes de chegar à idade adulta…).

E responder sem mentir e sem sentir o mea culpa pesar nos ombros, enquanto todas as minhas desculpas possiveis para justificar a necessidade à minha consciência, passam a 1000Km/h na minha cabeça…?

BOLAS!!

É só um vestido!!

(…ou dois)

 


Leave a comment

Cucú! E o Adeus a 2014

Pois…. Quem é vivo sempre aparece, certo?? Tenho andado em correrias e não tenho conseguido parar aqui (infelizmente para mim…), mas não posso sair deste ano sem um ‘cúcú’ a desejar Bom Ano para todos!

Adeus 2014!

Foi um ano em GRANDE, não foi??

E a mensagem para 2015…?

Não costumo ter resoluções, nem mensagens, talvez desejos optimistas e objectivos o mais realistas possível como num plano de negócios, mas houve uma mensagem que em 2014 se destacou e é a única que me vem à cabeça – Estava nos placards de protesto no Boulevard Chanel, lembram-se? >> click click!  E embora todos tenham uma mensagem incrível a ser passada, esta parece-me a melhor para um Adeus a 2014 e um Olá a 2015…

‘Be Your Own Stylist’

Adorei!

<Imagem Stylebubble.co.uk>


Leave a comment

Só Apetece GRITARRRRRR… Não é?

Bom dia!

E bom inicio de semana porque a 2ª Feira chegou… E a confusão do costume.

O levantar já é complicado o suficiente porque o sono foi e será sempre pouco, mais o sair de casa, mais o trânsito stressado e depois ainda as buzinas do costume, palavrão que ferve (a nível de palavrão acredito que podia haver mais criatividade), e insultos à mãe de pessoas que não conhecemos e, ainda por cima foram-se as férias a correr e Setembro chegou.

Enfim… Os egos do costume de 2ª feira, voltaram.

Vamos passando e ouvindo as discussões ou ‘hipóteses’ e reparamos que, como um telemóvel que ficou a carregar a noite toda a um carregador de ansiedade e má disposição, as pessoas já vêm bem carregadas de casa, mal-dispostas por qualquer coisa e claramente a precisar de uma boa desculpa para mostrar os dentes. O truque é aproveitar então o erro de alguém no trânsito e o que se  pode considerar uma afronta ao seu ser e atacar numa forma semi-violenta lembrando a racionalidade de um semi-sociopata.

Ou então atingem tal ponto de insanidade que a estrada se torna um corredor especial apenas para ‘mim’, em que apenas ‘eu’ posso passar e ai de quem se atreva a percorrê-la. Enfim, a estrada é de todos mas é só para ‘mim’, certo?

Já me encontrei em todas as situações de trânsito e (confesso…) dos dois lados, do semi-sociopata e da pessoa que dá por si a lidar com a bagagem de um semi-sociopata.

E no meio desta confusão toda que é a 2ªfeira de manhã, em que o truque para não parecer louca é aumentar o volume do rádio e cantar bem alto para disfarçar com algo ‘parecido’ a necessidade de gritar, abrir a porta do escritório é um alivio à congestão mental porque passámos. A paz que reina dentro de um escritório stressado em nada se compara ao que acabámos de passar e de repente a vida ou a sanidade mental começa a voltar devagarinho, principalmente quando encontramos o sorriso das pessoas com quem trabalhamos. De volta à realidade felizmente…

Enfim… Um país de brandos costumes? Talvez, mas não tanto… E muito menos à segunda feira.

BOM DIA!

 

<Imagens Interviewmagazine.com e Vogue>


Leave a comment

Porque É Que os Casamentos Sabem Tão Bem??

Estamos em plena época de casamentos e este ano tenho apenas UM casamento (sad for meeeee!). Para muito boa gente, só o facto de haver 1 casamento já é um frete, para mim não!

Eu, ao contrário da boa gente, ADORO casamentos!

Adoro a festa, porque além dos nossos 2 amigos estarem a explodir de felicidade e quererem dar essa festa para o partilhar, é uma das melhores desculpas para nos kitarmos todas com mais qualquer coisa do que para outras ocasiões, rifar a criançada para casa dos avós,  juntar a grupeta  e dançar pela noite fora, na desbunda como já há muito tempo não fazíamos, certo? Pelo menos desde o último casamento…

Quando é que honestamente se consegue hoje em dia juntar o grupo todo, TODO, sem ser com uma desculpa solene…? Há sempre alguém que não está cá, ou alguém que tem a varicela como hóspede da casa (deste tipo de desculpas então, conheço eu muito bem – durante um tempo a minha casa era tóxica), mas quando há um casamento, as coisas arranjam-se e conseguimos todos estar lá. Quem está fora, vem e quem está doente, cura-se, ou então vai para o casamento, pegar aos outros.

E para mim, a festa do casamento onde toda a gente se encontra, traz aquela sensação fantástica dos vintes, quando já não somos propriamente adolescentes nem estabelecidos adultos (também não confirmo que o sejamos agora…). Estamos nos 20 e tais, e os amigos são tudo o que conhecemos, são a nossa família ou a nossa tribo e passamos a vida juntos em modo de festa todos os fins-de-semana.

Nos casamentos, pelo menos sabemos que dois amigos nossos estão nas suas sete quintas! Toda a gente está bem-disposta e cheia de vontade de se divertir, desejosos de passar a parte secante da cerimónia (o casamento propriamente dito) e passar para a recepção (aquecimento), jantar ou almoço (catch-up) e tudo o que vem a seguir AKA: FESTA!!

Honestamente acho que existem mais pessoas a gostar de casamentos do que aquelas que gostam de admitir. A alguma altura tornou-se cool torcer o nariz e fazer cara de tédio quando um casamento para breve vem à baila na conversa… É ou não é??

Talvez a única ideia de casamento que me poderia deixar desconfortável seria se fosse eu a casar. Tenho o complexo oposto das estrelas, a ideia de ter muita gente a observar-me, arrepia-me (pele de galinha e tudo!).

Mas de resto, Casamento é festa e é a melhor desculpa do mundo: Eat, drink and be merry! … Or get married!

Portanto, CASEM-SE! A sério, eu agradeço!

<Imagem Vanityfair.com>